IMAGINE. LEIA. NAVEGUE.

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

You

Imagem relacionada
mt lindo
"Amor, não vai dar mais para ir ao cinema... Te ligo em cinco minutos para explicar."

Essa foi a mensagem que Louis Tomlinson me mandou, cancelando nosso encontro, enquanto eu terminava de passar (sofridamente) o delineador. Bufei, não acreditando que ele ia desmarcar agora, em cima da hora! Eu já estava quase pronta! Definitivamente não está nos meus planos ficar em casa sábado a noite, depois de uma semana inteira estudando e trabalhando, eu mereço uma diversão.
A foto do meu namorado apareceu na tela do meu celular, avisando que ele estava ligando, e eu larguei a maquiagem em cima da mesa. Deslizei o dedo pela tela para atendê-lo, ouvindo sua voz logo em seguida:

-Amor, me perdoa, mas os garotos marcaram uma reunião com o McFly na casa do Niall hoje e eu tinha esquecido. Eles acabaram de me lembrar.
-Não acredito, Louis! -murmurei, irritada.
-Eu sei, eu vacilei, mas realmente não dá para faltar, se pudesse eu já estaria indo te buscar.
-Tá, tudo bem... -disse, desanimada- a Kate ontem me chamou para sair com ela e eu recusei porque achei que ia sair com você, mas como você acabou de me dar um bolo, eu vou com ela.
-Ai, amor, sinceramente, não acho uma boa ideia... -ele disse, meio incerto.
-Por que?
-A Kate só vai para lugares que tem pessoas estranhas e garotos babacas... -ah, ele ia ficar com ciúmes agora?
-Com isso você não precisa se preocupar, amor.
-Mas eu não quero que você vá para esses lugares sem mim, s/n, sabe que eu não gosto -disse, começando a se irritar.
-Louis, não vou ficar em casa hoje...
-Cara, você é muito teimosa -reclamou.
-Eu vou desligar porque minha paciência está acabando e eu não quero brigar com você -avisei, finalizando a chamada.

[...]

Kate segurou minha mão e foi me guiando por entre as pessoas presentes naquele restaurante/bar. Estava lotado, e isso me desagradou um pouco porque dar um simples passo era uma missão quase impossível, mas Kate parecia estar no paraíso. Ela é o tipo de garota que ama esses lugares agitados e quase todo final de semana está presente. Conseguimos chegar no bar com (muito) esforço e dois garotos cederam seus lugares para nós, vendo que a gente não ia conseguir pedir nunca. Nos sentamos e pedimos as bebidas.

-Fiquei feliz por você ter vindo, achei que ia ter que curtir a noite sozinha -Kate disse, sorrindo.
-Curtir a noite sozinha não é um problema para você -respondi, e ela concordou rindo.
-Verdade, mas uma companhia nunca é demais, ainda mais sendo uma amiga gata como você -eu ri.
-Obrigada... Louis esqueceu de uma reunião com a banda e desmarcou em cima da hora -revirei os olhos.
-Vish! Mas acontece, né... -ela deu de ombros.
-Sim, mas eu fiquei bastante chateada.
-Pelo menos você não ficou em casa, veio se divertir comigo! -ela disse, alegre.
-E ele não gostou disso.
-Oush, por que? 
-Ciúmes -revirei os olhos- enfim, não vamos ficar a noite inteira falando dele, certo? Até porque depois a gente se acerta.
-Sim, e de uma maneira bem prazerosa... -ela piscou e eu gargalhei.
-Ridícula.

Ficamos por ali mesmo conversando mais um pouco e bebericando nossas bebidas. Depois Kate me chamou para dançar um pouco, mas eu ainda não queria, então insisti para que ela fosse sem mim. Bufei, irritada comigo mesma. A noite não era para ser assim, era para eu estar me divertindo agora. Mas a real é que o que eu queria mesmo era estar com Louis, vendo qualquer filme que estivesse em cartaz no cinema.
Eu já estava digitando uma mensagem de desculpa para ele, quando por ironia do destino, ele me manda uma mensagem perguntando onde eu estava. Sorri, sabendo que ele provavelmente estaria na reunião super desconfortável por eu ter saído com Kate e sem ele.
Respondi-o dizendo o nome do bar, e ele mandou um emoji de raiva. Comecei a rir e já ia responder uma gracinha, mas ele foi mais rápido (de novo) e mandou um:

"estou indo te buscar." 
"Não precisa, daqui a pouco estou indo para casa" respondi.
"Não. Estou chegando, me espera do lado de fora."

Comecei a olhar para todos os lados procurando Kate, eu queria avisá-la que estava indo, mas quando percebi que ela estava se divertindo muito com um bonitão, mudei de ideia. Ela só ia lembrar de mim no dia seguinte.
Caminhei, ainda com dificuldade, para fora do bar. Senti algumas mãos na minha bunda pelo caminho, mas eu não queria criar confusão, então apenas olhei para os idiotas com um olhar fuzilante.
Parei na entrada do bar, e quando olhei para o lado, identifiquei o carro de Louis chegando na rua. Ele parou o carro bem em frente ao estabelecimento e seus olhos logo me encontraram. Fez um meneio de cabeça, como um pedido silencioso para que eu entrasse logo no carro e assim eu o fiz.

-A reunião foi rápida, né? -perguntei, assim que o carro começou a andar novamente.
-Não. Eu saí assim que eles falaram as coisas mais importantes -respondeu, de cara fechada. Ele estava chateado comigo.
-Lou, não tem motivo nenhum para você ficar chateado comigo!
-Não tem motivo nenhum? -repetiu, com um tom de incredulidade- claro que tem, s/n! 
-Não, não tem! Aliás, eu que tenho motivo para ficar irritada contigo, já que você me deixou na mão.
-E eu já pedi desculpas por isso! Eu tinha esquecido completamente.
-Beleza, mas você não pode ficar boladinho comigo só porque eu saí com uma amiga para tentar me divertir um pouco.
-Você sabe muito bem porque eu fiquei chateado, s/n, e eu nunca te impeço de sair com ninguém, mas hoje eu só queria que você não saísse sem mim -disse irritado e parou num sinal vermelho.
-Ok, Lou, eu não quero brigar, eu não gosto disso -falei, me virando em sua direção e fazendo um carinho em seu cabelo- então desculpa se você não gostou disso, ok? -falei, dando um beijinho em sua bochecha- se você quer ouvir que está certo, tudo bem, eu digo: você está certo! -afirmei, e ele revirou os olhos, sorrindo. Me roubou um selinho rápido.
-Na verdade, o que eu queria mesmo é que você fosse menos teimosa as vezes, mas eu sei que isso é um pouco difícil.
-Posso tentar ser menos teimosa se você for menos esquentadinho...
-Aí você já está querendo demais... -murmurou, enquanto puxava minha nuca para um beijo e eu ria- está a fim de um cineminha agora?
-Com certeza.

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Up All Night

Imagem relacionada

-Alguém pode me explicar o que é isso aqui? -Liam perguntou com uma cara super confusa enquanto apontava para algo colorido que ocupava uma parte considerável do quintal.
-Isso é um brinquedo inflável, Payne! Meu tio me emprestou para agitar ainda mais nossa festa- Niall respondeu, todo feliz, o que me fez rir baixinho, sem deixar de prestar atenção nas luzes que eu pendurava em uma das paredes do quintal junto com Louis.

A gente acordou cedo hoje para arrumar a área exterior da nossa casa porque fomos obrigados a dar uma festa para nossos amigos, já que Liam fez o favor de perder uma aposta com o Tom Fletcher sobre uma partida de futebol. Tudo bem que dar uma festa não é de todo ruim, mas organizar é uma parte difícil, e nenhum de nós quatro sabemos exatamente como fazer isso, então estamos nos virando como podemos. Vale lembrar que a festa foi marcada para hoje, e ainda temos um bocado de coisas para fazer.

-Alguém já colocou as músicas no pen drive? -perguntei.
-Louis tinha ficado encarregado de fazer isso -Horan disse, e então todos nós olhamos para o Tomlinson.
-Eita, eu esqueci... Farei isso agora mesmo! -Louis disse- Liam, vou pegar a caixa de som na sua casa.
-Beleza, cara -Payne concordou- Harry, você não disse que a s/n viria para ajudar a gente?
-Sim, disse. Ela vem logo depois do curso dela -expliquei, contendo a vontade de pegar meu celular e ligar para s/n para saber se ela já estava chegando ou não. Isso porque descobri nas últimas semanas que eu não posso ver uma garota simpática e bonita como a s/n que já fico caidinho.
Nós nos conhecemos porque os pais do Liam receberam s/n na casa deles como uma intercambista, e um dia eles vieram aqui visitar o Liam e a trouxeram. Ela virou nossa gata amiga brasileira, e o Liam vive a chamando de irmãzinha... E, bom, eu tô querendo virar cunhado do Liam.

30 minutos depois, nosso quintal estava quase pronto. Liam e Niall estavam decorando a área da piscina, eu estava colocando as bebidas no frigobar e arrumando os red cups que havíamos comprado, e Louis estava testando o som. No momento tocava Major Lazer.
A campainha tocou e, como Horan estava mais próximo, abriu a porta. Ouvi-o murmurando um "hey, s/n!" e logo os dois se abraçaram. 
Ela estava usando uma calça jeans clara com um moletom preto de Stranger Things, e sua mochila estava pendurada sobre apenas um ombro. Ela adentrou nosso quintal e abraçou Payne fortemente, eles conversaram brevemente e depois ela continuou caminhando. Me lançou um sorriso, e foi até Tomlinson que estava mais perto. Ela cantarolou a música e, aparentemente, elogiou o som, deixando um beijo na bochecha de Louis e vindo até mim logo em seguida. Abri um sorriso quando ela envolveu meu pescoço com seus braços, e eu aproximei-a ainda mais puxando sua cintura.

-Olá, Styles -ela sorriu- pelo visto vocês não precisam de ajuda, estão se saindo bem.
-Eu acho que você está tentando fugir da arrumação... -cerrei os olhos, com as mãos no bolso e ela gargalhou.
-Céus, eu nunca faria isso -debochou, me fazendo rir- ok, por onde eu começo?
-Começa me dando um beijo, porque você não fez isso -disse, sorrindo.
-Vou começar a cobrar meus beijos, Harry Styles -ela brincou, me dando um beijo em cada bochecha, mais um na testa e outro no nariz.
-Se você fizer isso, vou ficar pobre -lamentei e ela soltou uma risada alta.
-Bobo.
-Vocês dois podiam parar de namorar e me ajudar aqui, né? -Niall pediu, segurando uma lona preta que provavelmente seria colocada na pista de dança para que nenhum convidado se molhasse, caso chovesse.

[...]

 Eu e os meninos já estávamos prontos há alguns minutos e, enquanto esperávamos s/n descer para poder esperar os convidados lá fora, jogávamos uma partida de Fifa. Eu estava ganhando de três a zero do Niall, e ele não estava nada contente com isso, o que me fazia gargalhar vez ou outra devido a seus palavrões.

-Ihhh, mais um gol do Harry! -Liam disse, já rindo, quando eu me aproximei da área do gol do Borussia Dortmund, time que o Niall escolheu para jogar.

Bom, seria mesmo mais um gol meu, mas eu escutei um barulho vindo da escada e decidi olhar para lá, e isso me fez ficar hipnotizado. S/n estava descendo os degraus em cima de seu tênis vans vermelho, um short jeans rasgado que me fez parar de respirar por um momento, e uma blusa preta meio transparente, que mostrava seu top preto colocado por baixo. Parecia que ela estava descendo a escada lentamente apenas para eu admirá-la de forma exclusiva e para o meu próprio prazer, mas na verdade, s/n mexia no celular tranquilamente, não tendo noção de como estava brincando com a minha mente pervertida vestida naquele shortinho.

-Como você me perde um gol desses, Styles? -Louis perguntou, enquanto Niall ria feliz por provavelmente estar fazendo um contra ataque. Tive que desviar os olhos do delicioso corpo de s/n.
-Que merda! -murmurei fingindo indignação.
-Estou pronta, foi mal por fazer vocês esperarem -s/n falou e se sentou no sofá ainda mexendo no celular. Logo seu perfume tomou conta da sala toda.
 -Estamos acostumados, s/n, garotas são todas iguais mesmo -Niall comentou e ela riu- Tá gatinha, hein!
-Verdade! -Louis concordou, juntando seu dedo indicador com o polegar num famoso sinal de que ela estava realmente "top"- tá de parabéns.
-Obrigada por colocarem minha autoestima lá em cima -s/n agradeceu, rindo.
-Pelo visto vou ter que ficar de olho em você a festa inteira -Liam falou- sempre tem uns moleques sem noção por aí...
-Não se preocupe, maninho -ela lhe deu uma piscadela e eu senti que estava sem ar. Meu Deus, eu sou tão ridículo- Garotos, mais de 100 pessoas confirmaram presença na festa hoje, vocês viram?
-Sim, daqui a pouco essa casa está lotada.

A partida chegou ao fim e eu larguei o controle, que logo foi tomado por Liam, que jogaria contra Louis. Ajeitei (ou baguncei ainda mais) meu cabelo e obviamente eu zoei um pouco com a cara do Niall chamando-o de freguês. Depois direcionei meu olhar para S/n. O que tanto ela mexia nesse celular?
Levantei-me do sofá e me joguei ao lado dela, que me olhou brevemente.

-Que foi, neném? -perguntou, enquanto digitava algo. As vezes ela nos chamava assim. É engraçado e fofo.
-Me dá atenção, poxa! -pedi, manhoso e ela riu, revirando os olhos.
-Eu tô ocupada dando um fora num idiota -respondeu, dessa vez me olhando e eu franzi o cenho.
-Como assim? -me aproximei ainda mais com a intenção de tentar olhar a conversa que estava na tela de seu celular.
-Ai, não é nada demais, só um garoto chato -disse, não me deixando ver.
-S/n, deixa eu ver isso -pedi, tentando pegar o celular dela, mas ela foi mais rápida.
-Não, Harry -ela riu- para de bobeira.

Voltei a me encostar no sofá e bufei, enciumado. E o fato dela continuar digitando e dando atenção a quem quer que seja o babaca só me deixou ainda mais irritado. E foi por isso que eu, rapidamente, puxei o celular da mão dela e levantei do sofá. Ela soltou um gritinho mal humorado e eu saí correndo em direção a cozinha. Na tela do celular tinha uma conversa entre s/n e um tal de "James" que estava claramente dando em cima dela, enquanto ela tentava dar um fora nele de uma forma educada.

-Seu idiota, me devolve essa merda! -ela chegou na cozinha com raiva, e eu levantei a mão pedindo para ela esperar. Pressionei o botão para gravar um áudio.
-Oi, James, aqui quem fala é o Harry e eu tô gravando esse áudio para mandar você parar de dar em cima da minha namorada. Estamos entendidos? -eu enviei e sorri satisfeito, devolvendo o celular.
-Mas o que foi isso? -ela riu.
-Se ele te mandar mais alguma mensagem me avisa que eu mando matar esse otário -falei e ela gargalhou. Ouvi a companhia tocar- Vem, gata, vamos curtir a festa... Ah, mais uma coisa! Você está muito gostosa, isso é demais para a minha sanidade mental -acrescentei.
-Harry! -me repreendeu- para de dar em cima de mim.
-Só no dia que você me der uma chance... E, não quero fazer pressão, nem nada, mas hoje é uma ótima oportunidade -dei de ombros e sorri. S/n apenas revirou os olhos e me seguiu, murmurando um "vou pensar no seu caso" que fez minhas expectativas aumentarem em 1000%.

Uma hora de festa: a galera tava começando a beber e conhecer melhor o ambiente, enquanto dançavam timidamente as músicas eletrônicas que saíam da caixa de som num alto volume.
Duas horas de festa: algumas pessoas já estavam bêbadas e algumas outras já não queriam saber mais de nada a não ser dançar. E se divertir no brinquedo inflável (lugar onde Niall ficou bastante tempo e conseguiu até dar uns amassos numa loira lá mesmo).
Três horas de festa: as pessoas que estavam sóbrias dava para contar nos dedos (isso não me incluía, já que quando eu vi s/n dançando com algumas amigas de uma forma tão deliciosa bem em minha frente ao som de um remix de Katy Perry, percebi que não ia conseguir ficar sóbrio sem ir para cima dela, eu não ia me controlar).

Eu estava muito bem acomodado no sofá de couro que foi colocado perto do bar improvisado, bebendo um líquido colorido qualquer, quando s/n chegou toda eufórica me pedindo para ir ao brinquedo com ela. Quando você está a fim da mina e ela pede para ir num brinquedo infantil junto contigo não dá para negar certo? Certíssimo. E foi por isso que logo em seguida eu estava sendo puxado por s/n por entre as pessoas.
Quando chegamos, percebemos que Niall estava comandando a fila do brinquedo, como se fosse um aniversariante de cinco anos que organiza a fila do brinquedo de sua festa infantil. Na verdade, não sei como o pessoal estava dando moral para ele, já que ele estava ainda mais bêbado do que eu.

-Esse casal aqui vai sozinho, vocês vão ter que esperar -ele disse apontando para nós dois com um sorriso malicioso, enquanto ouvíamos um muxoxo da galera da fila.
-Foi mal, pessoal, não vamos demorar -S/n, que pelo visto era uma das poucas sóbrias na festa, falou e então nós entramos.

O brinquedo era um enorme quadrado e dava para pular, ele parecia uma casa enorme por fora, e eu não posso negar que era divertido ficar caindo toda hora e pulando, ainda mais quando era fechado e por isso ninguém podia ver você pagando mico.
S/n ria bastante enquanto seus cabelos voavam pelo ar de forma engraçada e nós dois parecíamos duas crianças pulando nesse troço molengo. Ela é tão bonita e alegre.
Me joguei no chão do brinquedo, e meu corpo ficou quicando por alguns segundos até parar completamente. Aparentemente ela cansou de brincar sozinha e se jogou ao meu lado. Logo eu me virei de barriga para baixo e fiquei a encarando. S/n me encarou de volta por alguns segundos, mas ela sempre perdia nessa brincadeira, até mesmo quando eu estou cheio de álcool nas ideias, e por isso ela disse, incomodada:

-Que foi, Harry?
-Você é tão linda... E sexy -disse o que estava na minha mente. Ela riu.
-E você está bêbado!
-Verdade, eu estou um pouco, mas ainda sei o que tô falando. E você é extremamente linda e gostosa! -falei, tocando levemente em seu rosto- provavelmente a garota mais linda e mais gostosa da festa. Do mundo... -ela sorriu.
-Obrigada, Styles, você também é tudo isso -disse para mim carinhosamente, e retribuindo o cafuné que eu fazia nela. Fechei os olhos por isso, sentindo sua mão macia em meu cabelo por um momento. Quando abri os olhos novamente, s/n me olhava de uma forma tão terna, que eu sabia que não ia conseguir resistir mais. Eu ia beijar ela.
-Eu vou beijar você -avisei, me aproximando.

Até que...

-OU, ACABOU O TEMPO! -Niall gritou, fazendo s/n se assustar. Fiquei com vontade de socá-lo- qualquer coisa tem alguns quartos dentro de casa.
-Vai a merda, Horan -eu disse, me levantando e puxando s/n comigo.
-Outch, a gente tenta agradar os amigos e eles nos retribuem assim, tá vendo pessoal? -ele lamentou para a galera da fila, mal conseguindo falar direito. Se eu não estivesse bravo, com certeza teria rido da cena.

Entrelacei meus dedos nos de s/n e, juntos, caminhamos até a entrada da casa, que estava vazia já que eu e os meninos combinamos que não permitiríamos ninguém lá dentro, a não ser em casos de emergência como esse, em que eu precisava desesperadamente beijar essa garota.
Assim que eu fechei a porta da sala, agarrei sua cintura com um braço e puxei sua nuca com o outro em direção a mim. Eu precisava tanto disso! S/n permitiu que nossas línguas se juntassem causando uma sensação maravilhosa dentro de mim, e tal sensação se estendeu por longos minutos, já que ficamos um bom tempo aproveitando os lábios um do outro.

-Por que você nunca me deu essa oportunidade antes, hein? -perguntei, ofegante.
-Não queria me apaixonar por você. Mas falhei miseravelmente -disse, me olhando profundamente.
-Amei a sua falha então, porque sou apaixonado por você desde o dia em que você pisou os pés nessa casa.
-Então você me tem -ela sussurrou contra os meus lábios- aproveita, Harry Styles.

Ela não precisou falar duas vezes.

domingo, 26 de novembro de 2017

One Thing

Resultado de imagem para louis tomlinson photoshoots

O luau de aniversário da namorada do Liam, Cheryl, estava muito agradável. Havia algumas cangas na areia em formato de roda, onde as pessoas se sentavam e curtiam uma boa música acústica que o Niall e Harry estavam proporcionando para os convidados. Outras jogavam vôlei ou um futebol de areia um pouco mais distante, e eu e algumas outras pessoas estávamos perto da mesa das comidas, bebendo uma cerveja gelada e curtindo a brisa da praia. 
Estava tudo certo, até que eu a vi e parei de respirar sem nem mesmo perceber. Eu havia me esquecido completamente que Cheryl era amiga da S/n, a menina que eu sentia uma paixão meio que platônica, já que nós não éramos nem um pouco chegados e apenas nos víamos em festas de amigos em comum, como hoje. Como sempre, ela estava linda, com um short jeans branco e uma blusa tomara que caia florida. Tinha uma coroa de flores em volta de sua cabeça, assim como todas as outras convidadas, mas ela.... Ela é diferente. 
Estava segurando um copo de bebida, provavelmente suco de laranja, enquanto ria com suas amigas e sorria para alguma selfie que alguém pedia para tirar vez ou outra. O sorriso sempre estampado no rosto... Ah, aquele sorriso! 
Me sinto um adolescente apaixonado perto dessa garota. Porém, eu sabia que nunca teria chance, ela é muito areia para o meu caminhão, então eu tentava me conformar em apenas stalkear seu Instagram toda vez que ela aparecia na minha timeline, e conversar com ela superficialmente quando dificilmente estávamos no mesmo lugar.

-Sai de perto da mesa da comida, Tomlinson! -o primo de Liam exclamou, me fazendo tirar os olhos da mulher que era para ser a mãe dos meus filhos e olhar em sua direção, rindo baixo pelo seu pedido.
-Dá não, cara, você sabe que eu não resisto a uns bons quitutes -ele riu com minha resposta, e saiu em direção a roda onde Harry cantava e Niall tocava violão.

Beberiquei minha cerveja e coloquei a mão livre no bolso do meu short, voltando a direcionar meu olhar a mulher incrível... S/n tem uma coisa. Não sei explicar, mas sei que ela tem algo. Talvez seja seu jeito de tratar as pessoas, seus sorrisos carinhosos, o modo como ela fala ou como ela abraça. Puts, que mulherão. Meu sonho de consumo. Meu maior desejo -e talvez o mais inalcançável. A vida é triste, meus amigos.

Percebi que a galera parou de cantar e vi que estavam começando uma brincadeira que Cheryl pediu. Aparentemente, a brincadeira era em dupla e o par tinha que espremer um coco seco entre suas barrigas. O objetivo é fazer esse coco chegar na boca dos dois participantes sem encostar com a mão. Igualmente a cena do filme Esposa de Mentirinha, pelo visto.

-O Louis ainda não tem dupla -Cheryl disse para s/n e apontando em minha direção. Ela fez um gesto com a mão pedindo para que eu me aproximasse das duas. Fiquei sem acreditar. Eu não estava planejando participar da brincadeira, mas já que a aniversariante me arrumou a menina mais bonita da festa como dupla, eu não sou nem louco de negar.
-Oi, Louis -S/n sorriu para mim- Já faz um tempo que não te vejo.
-Pois é, S/n... Desde a festa da Maggie, acho -eu tinha certeza- como vai? -perguntei sorrindo.
-Tudo ok... Parece que somos uma dupla agora -ela riu.
-Sim -Cheryl interrompeu nosso diálogo- Parece que vocês tem uma brincadeira para vencer.
-Let's do it! -falei brincalhão, ouvindo a risada maravilhosa dela. Música para os meus ouvidos.

Nos posicionaram um de frente para o outro e colocaram o coco em nossas barrigas, deixando claro que nossas mãos deveriam ficar para trás. Enquanto todas as duplas se ajeitavam, eu tentava não ficar olhando para ela feito um psicopata, então comentei a primeira coisa que veio na minha cabeça:

-Será que sou habilidoso o suficiente para fazer isso? -ri brevemente.
-Será que nós dois somos? -perguntou, divertida.
-Bom, estamos prestes a descobrir.

Alguém gritou "valendo" e então todas as duplas participantes entraram em ação. S/n abaixou um pouco o seu corpo e eu, automaticamente tive que levantar o meu, fazendo o coco subir e descer. Meu Deus, ela estava esfregando o corpo dela em mim. Eu não ia aguentar.
Eu. Vou. Morrer.
Duas duplas deixaram os cocos caírem ao mesmo tempo, fazendo a galera que só estava assistindo murmurar um "ahhhh" desanimado. Ainda restavam três duplas, então as sarradas continuaram.

-Bom, essa droga ta quase chegando nos meus peitos, daí acho que será mais fácil -S/n comentou, subindo e descendo aquele corpo delicioso dela, sem tirar os olhos da maldita fruta.
-Estamos nos saindo bem -disse simplesmente, tentando fazer o coco chegar aos peitos dela 

HAHA...Tentando fazer o coco chegar nos peitos da mulher mais linda do mundo, que estava a centímetros de distância de mim, esfregando o corpo dela inteiro no meu. Por favor, alguém chame uma ambulância quando essa competição acabar.
A fruta ficou entre os peitos de s/n e então ela deu um gritinho de satisfação, me fazendo rir. Fomos subindo a fruta pouco a pouco, até ela chegar na garganta da minha companheira, fazendo-me sentir ainda mais o seu perfume ridiculamente viciante (e torcer para que meu pau não estivesse completamente duro no final, o que é difícil de acontecer).

Mais um casal perdeu, restando apenas nós e outra dupla.

o coco estava na minha garganta e eu tive vontade de gargalhar, mas não quis arriscar a queda de uma fruta tão importante no momento. S/n conseguiu colocá-lo na minha boca com o seu pescoço, e então só precisou descer o rosto um pouquinho para que nós dois estivéssemos com as bocas encostadas na fruta.
Enquanto a galera gritava, comemorando nossa vitória, nós trocamos um olhar profundo, e eu nunca odiei tanto a merda de um coco. Estava no meio do meu caminho até a boca dela. Por que cocos existem? Quem precisa de coco?
S/n segurou a fruta, fazendo-nos desencostar a boca do mesmo, e abriu um sorriso gigante para mim. Levou seus braços até meu pescoço e me abraçou forte. Eu rapidamente envolvi sua cintura e também a apertei fortemente.

-Conseguimos! -disse.
-É, parece que sim -eu ri.
-Eu sabia que vocês ganhariam! -Cheryl chegou, e ela se soltou de mim (triste). A aniversariante nos abraçou- o prêmio vai ser uma coisa de casal, mas como os dois são solteiros, não tem problema, não é?
-Por mim, tudo bem -afirmei, tentando não parecer tão ansioso, mas por dentro eu estava urrando de felicidade.
-Por mim também -ela deu de ombros.
-Ótimo! -Cheryl disse, alegre e levantando dois papeis pequenos retangulares, que eu não tinha percebido que estavam em suas mãos- este é o prêmio! Duas reservas pro Signor Sassi.
-Uau! -S/n e eu dissemos juntos.
-Esse restaurante é incrível -ela comentou.
-Liam me ajudou a escolher, ele tem bom gosto, tenho que admitir -Cheryl disse, fazendo-nos rir- Bom, é para amanhã, espero que vocês estejam disponíveis.
-Eu tô -afirmei.
-Amanhã a noite eu tenho faculdade, saio 20h, mas acho que dá tempo, certo?
-Sim -respondi rapidamente- se você quiser, posso te buscar.
-Seria melhor -ela respondeu- desde que não tenha problema para você.
-Não tem! 
-Yay! -Cheryl soltou um gritinho feliz e nós rimos.

Após o luau, eu entrei no meu carro para ir embora com o número de celular de S/n, o endereço de sua faculdade e uma ansiedade ridícula crescendo em mim conforme as horas passavam.

No dia seguinte...

Quando o relógio marcou 19:30 eu já estava pronto e encarando meu reflexo no espelho. Eu quase nunca reparava no meu visual, mas hoje é uma noite especial com uma mulher especial, então eu tentei caprichar um pouco mais, porém sem exagero. Vesti uma calça jeans escura, um tênis da Adidas que havia ganhado deles pelo patrocínio e uma camisa polo de manga longa na cor azul marinho. Passei meu perfume, torcendo para que ela gostasse dele da mesma forma que eu gostei do seu, e deixei meu cabelo um pouco desgrenhado. Saí de casa com meu celular, carteira e chave do carro.
Assim que cheguei na faculdade de s/n, mandei uma mensagem para ela avisando, e logo depois ela apareceu na entrada da faculdade, descendo as escadas e olhando para todos os lados, com seu celular em mãos. Sorri, ainda dentro do carro, sem acreditar que ela procurava por mim. Eu sou muito sortudo, que isso!
Saí do carro e acenei brevemente com a mão, até seus olhos me encontrarem. Ela sorriu e desceu as escadas mais rápido, não demorando a chegar em minha direção com um sorriso no rosto. S/n me abraçou e depois disse:

-Não é justo você estar todo bonitão, enquanto eu estou desse jeito! -ela aprontou para si. S/n usava uma calça jeans clara, um tênis vans nos pés e uma blusa que deixava seus ombros a mostra na cor preta, além de ter uma bolsa preta que provavelmente estava com seus livros. Revirei os olhos, não acreditando em seu comentário.
-Você só pode estar brincando... Você tá ótima, s/n, relaxa! -afirmei.
-Não estou muito convencida, mas tudo bem -ela cerrou os olhos para mim, mostrando seus dentes em um sorriso logo depois. Linda demais, eu não aguento!

Entramos no carro e seguimos em direção ao famoso restaurante cinco estrelas de comida italiana. Perguntei como tinha sido seu dia e ela contou, assim como eu compartilhei como havia sido o meu. Era uma conversa super normal e agradável, mas eu estava transbordando de felicidade por s/n, a mulher dos meus sonhos, estar dentro do meu carro.

Ao sentarmos na mesa reservada para nós dois, o garçom já veio até nós com o menu em mãos. Demos uma checada nas opções e pedimos macarrões com diferentes tipos de molhos e até a comida chegar, bebericamos um vinho branco maravilhoso.

-Meu Deus, estou no céu? -ela perguntou, após provar sua comida- se esse macarrão fosse uma pessoa, eu me casaria com ele -eu gargalhei.
-Quem diria que estaríamos aqui por causa de um coco seco, né? -comentei e ela riu com vontade, e eu fiquei feliz por tê-la feito rir.
-É mesmo -concordou- quem diria que estaríamos jantando juntos, não é mesmo?
-Na verdade, eu diria, mas sempre fui muito desacreditado de que você sairia comigo -admiti, vendo ela fazer uma cara de surpresa com minha confissão.
-Louis, você nunca me perguntou, e a gente sempre se via em festas! -disse, inconformada.
-Eu sempre achei, e ainda acho, que você é muito areia para o meu caminhão -ela riu de novo.
-Que bobeira.
-Talvez seja, mas é o que eu acho -dei de ombros, sorrindo.
-Meu Deus, por que você acha isso? -quis saber, ainda não acreditando em minhas palavras. Ela até largou seu garfo para prestar mais atenção em mim.
-Sei lá, você é muito bonita, simpática, inteligente... 
-Lou, você é tudo isso também... -ela disse de uma forma extremamente fofa, e eu automaticamente fiquei com uma vontade enorme de jogar a mesa que nos separava para o lado e beijar ela até eu ficar sem boca.
-Não como você é, não no mesmo nível... -disse, e ela revirou os olhos sorrindo.
-Bom, para provar que você está errado, acho que deve me convidar para sair outras vezes.
-Vai ser um prazer -abri um sorriso enorme- eu sairia com você todos os dias da semana se você quisesse.
-Uau! -exclamou, sorrindo abertamente- assim você me deixa sem graça, Tomlinson.

Eu estava a alguns passos de tirar a s/n apenas dos meus sonhos e colocá-la na minha realidade, na minha vida real. Meu coração estava pulando de alegria devido a isso.

sábado, 25 de novembro de 2017

Gotta be you

Resultado de imagem para liam payne photoshoot

Desde que Liam tinha partido meu coração em mil pedacinhos, eu não era a mesma S/n. Vivia cabisbaixa pelo campus da faculdade, não estava comendo direito e não saía com meus amigos. E já se passaram duas semanas após o nosso término de namoro. "Você não pode deixar de viver por causa desse idiota" minhas amigas diziam, mas doía tanto tanto tanto. Nosso relacionamento ia completar dois anos de namoro, mas esse idiota teve que terminar comigo por um motivo tão besta quanto ele: sua nova turnê. Você provavelmente não deve estar entendendo, mas não se preocupe porque na hora eu também não entendi muito bem, principalmente quando ele disse:

-Eu ainda te amo, s/n. Muito! -ele tentou segurar minhas mãos, mas eu não permiti.
-Então por que você está terminando comigo? Não faz sentido! -respondi, rindo sem realmente achar graça.
-Você sabe que nas turnês sempre vamos em festas e... e eu tenho medo de fazer alguma coisa que possa te magoar... -ele disse, sem jeito- eu não quero que saia nos jornais algo que possa envergonhar você, S/n... As vezes a saudade aperta muito e eu.... -ele coçou a cabeça- não sei se consigo suportar.
-Ah, que ótimo -disse, ironicamente- Você já tá avisando antes mesmo de viajar que pretende pegar outras garotas.
-S/n, não é exatamente isso, é que pode acontecer e eu não quero que você sofra...
-Tá, Liam -o cortei- Já acabou com seu discurso? -ele suspirou, colocando as mãos nos bolsos da calça.
-Não quero que fique chateada comigo. Por favor, tente entender...
-Já acabou? -voltei a repetir, ignorando-o. Ele assentiu, com uma aparência triste. Peguei minha bolsa e coloquei por cima do ombro- Então estou indo. Boa viagem. Espero que se divirta bastante nas festas -revirei os olhos, rindo debochadamente, mas na verdade eu queria socar ele com toda força do mundo. Saí de seu apartamento batendo a porta com força e quando entrei no elevador, já estava chorando que nem uma idiota. Filho da mãe! Eu o odeio!

E é por causa desse traste que meus dias têm se resumido em acordar, ir para a faculdade, voltar para casa, fingir que tô me alimentando e dormir. Sei que é ridículo, mas estou nessa fase do término.

Numa sexta-feira a noite, onde mais uma vez eu estava deitada no sofá da minha casa vendo qualquer filme que passava na minha tv, recebi a mensagem da Isa me chamando para sair. Soltei um riso fraco pela tentativa dela de, outra vez, me convidar para uma festa, mas, de novo, não ia rolar. Eu não sentia vontade. Só queria ficar jogada no meu sofá apenas existindo. 
Quando ela percebeu que eu visualizei e estava demorando para responder (eu não ia responder), ela me ligou e eu revirei os olhos. Recusei a chamada e digitei preguiçosamente para ela um "Não tô a fim, gata. Vou ficar em casa assistindo um filme". Ela logo respondeu um "de novo???????? você já deve ter assistido todos os filmes do mundo, s/n" . Soltei uma risada baixa quando imaginei ela falando isso com sua cara de inconformada. Desta vez não respondi, apenas bloqueei a tela do meu celular e levantei, indo até a cozinha e pegando um pote de sorvete da Haagen Dazs, única coisa que eu estava conseguindo comer com gosto nos últimos dias. 
Me sentei no sofá novamente e fixei meus olhos no filme que estava passando. Emma Stone estava vendo Ryan Gosling tocar seu piano na belíssima cena de La La Land. Ela começou a fazer uns passos de dança engraçados e eu ri, até escutar meu celular tocar outra vez. Revirei os olhos, impaciente com a insistência da minha amiga. Será que ela não entendia que eu ainda não estava pronta para sair por aí fingindo que não tinha terminado um relacionamento de quase dois anos? Larguei a colher dentro do pote de sorvete e me estiquei para alcançar meu celular, me preparando para falar um monte para ela, mas quando olhei a tela do meu celular, não era o nome de Isa que brilhava ali. Era Liam. Fiquei num conflito interno para saber se eu deveria atender ou não, mas no fim das contas, eu atendi.

-Oi? -disse, meio insegura.
-Oi, s/n.
-Ligou errado? -perguntei, estupidamente.
-Claro que não -ele soltou uma risada fraca, me deixando ainda mais confusa. 

Já passava da meia noite, ele provavelmente deveria estar numa festa pós show agora... beijando alguma garota, como ele mesmo disse para mim que poderia acontecer antes de viajar.

-Você está ocupada? -ele perguntou. Ok, isso está estranho. Larguei o pote de sorvete no chão e me concentrei mais na ligação do meu ex em plena madrugada.
-Não. -respondi simplesmente.
-Quero conversar.
-Hm, ok...
-S/n, me perdoa...

Ah, ele não podia fazer isso comigo. Me deixar sofrendo por duas semanas e depois vir pedir desculpas? Payne só pode estar de brincadeira.

-Liam, não era para você estar numa festa agora? -fui um pouco grossa, mas a paciência já estava acabando.
-Sim, mas não consegui ficar mais de 20 minutos lá. Eu só pensava em você -engoli em seco, tentando não cair nesse papinho- Só conseguia pensar no quão babaca eu fui.
-Liam, por favor... Eu já estou sofrendo o suficiente com o nosso término, se você estiver ligando para me iludir de novo, eu não...
-S/n, não é isso! Por favor, me deixa falar -fechei os olhos com força- Achei que me sentiria melhor se terminasse com você antes da turnê, mas eu só fiquei triste e me sentindo um merda.
-Talvez porque você seja um.... -murmurei, e escutei ele rir baixinho.
-Certo, talvez eu seja mesmo. Mas eu sou um merda que ainda gosta de você e sincero o suficiente para admitir que... Tem que ser você, s/n!
-Liam... -ele me interrompeu.
-Eu terminei com você por um motivo tão ridículo, me desculpa por ter feito você sofrer por uma coisa tão idiota. Não entendo como passou pela minha cabeça que eu teria vontade de ficar com outra pessoa tendo você na minha vida -sorri, sem querer, e uma lágrima já estava caindo pelo meu rosto. Os pedaços partidos do meu coração se juntando com cada palavra que ele falava...- Sei que estou pedindo demais, mas por favor, me perdoa. Eu imploro seu perdão, s/n.
-Você está sendo realmente honesto, Liam?
-Como nunca fui antes! -afirmou- terminei achando que ia te proteger de sofrer por rumores ou até por fatos reais mesmo, tinha medo do que eu podia fazer longe de você, mas agora eu tô aqui e tudo que eu queria é você comigo.
-Sendo assim... -já estava sorrindo feito besta.
-Volta pra mim, por favor... Por favor, por favor.
-Seu idiota.... Eu amo você.
-Ufa -ele disse, me fazendo rir, enquanto limpava as lágrimas.
-Da próxima vez que você falar de terminar, eu te excluo da minha vida, Liam Payne.
-Eu vou abolir a palavra "término" do meu vocabulário.

What makes you beautiful

Resultado de imagem para harry styles photoshoot

-Caramba, essa roupa está ridícula em mim -s/n disse, enquanto se olhava no espelho e soltava um muxoxo frustrado.

Eu estava jogado na cama mexendo no celular apenas esperando-a terminar de se arrumar para, então, irmos ao jantar de aniversário da minha mãe. Só que, como na maioria das vezes, ela estava demorando muito e já tinha colocado mais de mil roupas. Dessa vez, estava com um vestido preto, as mangas iam até seu cotovelo e ele era um pouco rodado abaixo da cintura. Estava linda. Como ela podia achar que estava feia?

-Amor, você tá linda, confia em mim -afirmei, tirando a atenção da timeline do twitter e olhando pro seu rosto através do enorme espelho.
-Difícil confiar em você quando o meu reflexo me diz o contrário.

Revirei os olhos, perdendo um pouco a paciência. Eu realmente não sei porque s/n é tão insegura com a imagem dela, se ela ao menos pudesse enxergar com os meus olhos por um dia inteiro, veria o quanto ela é maravilhosa para mim.
Minha namorada jogou os cabelos para trás e se virou um pouco de lado para observar sua imagem na lateral, e dessa vez, respirou fundo, ainda chateada. Joguei meu celular pelo colchão e me levantei, indo até ela.

-Eu fico triste vendo uma cena dessas, s/n, sinceramente.... -comentei, parando ao lado dela, de frente para o espelho, com os braços cruzados.
-Que cena? essa? -ela pontou para o próprio reflexo- pois é, eu também fico -eu ri da palhaçada dela.
-Você é muito boba, meu Deus do céu! A cena triste é você se sentindo feia quando, na verdade, é linda.
-Harry, você é suspeito pra falar -ela fez uma carinha de criança chorona, que me fez rir outra vez.
-Não sou não, se você estivesse feia, eu falaria.
-Mentiroso! Você nunca me disse que eu estava feia -ela me olhou- se eu estiver com uma olheira do tamanho do mundo e toda descabelada você vai continuar dizendo que tô bonita.
-Porque você é bonita até mesmo assim... -disse, sorrindo.
-Queria acreditar.
-Chega dessa palhaçada, estamos atrasados e temos que ir agora mesmo -falei, já pegando meu celular em cima da cama e andando até a porta. S/n suspirou, derrotada, e caminhou até onde suas sandálias estavam. Ela calçou rapidamente e me seguiu para fora do quarto.

O caminho até a casa da minha mãe foi quieto, o único som que se ouvia era a música calma da rádio. Quando chegamos, cumprimentamos alguns familiares meus que estavam lá e ficamos conversando até o jantar ser servido. Comemos com gosto, porque obviamente a comida da minha mãe estava ridícula de tão boa e, no final da noite, enquanto alguns tios meus iam embora e eu conversava com meus primos, procurei por s/n pela casa, e achei-a conversando com minha mãe. As duas riam de alguma palhaçada que minha namorada havia dito, e eu escondi um sorriso nos meus lábios. Ela é tão linda, todo mundo nessa casa via isso, menos ela... Como pode?
Seus olhos encontraram os meus e eu dei uma piscadela, o que a fez rir. 
Iluminadora do meu mundo.

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Você disse TPM?

Link permanente da imagem incorporada

-Scooby! Droga, sai da minha frente! -S/n gritou depois de quase tropeçar por causa de seu cachorro, que não parava de segui-la.
-Hey, não grita com ele! -Lou veio defender seu mascote, fazendo sua mulher ficar com ainda mais raiva. 

Ele mesmo havia dado o cachorro à S/n quando ainda eram namorados, e ela simplesmente amou. Ama demais o bichinho, adora fazer carinho e brincar com ele, só que hoje ela não estava muito bem. Períodos femininos, você sabe como funciona...


-Talvez eu parasse, se ele não ficasse me seguindo para todo o canto. Ele está com fome e você não é capaz de levantar essa sua bunda do sofá e colocar ração para ele.

-Desculpa, meu amor, eu ainda não sei como ler mentes de humanos, quem dirá de cachorros -Louis respondeu, bem-humorado.
-Nossa, muito engraçadinho você -Ela rebateu, debochadamente.
-Amor, o que está acontecendo?
-O que está acontecendo? -ela riu, incrédula- além da casa estar uma bagunça, você passar 50 horas assistindo futebol, Scooby estar morrendo de fome e eu não ter conseguido dormir direito por conta das cólicas? Bom, Louis, eu acho que está tudo ótimo apesar dessas coisas...

Ele já entendeu tudo. Sua noiva estava naqueles dias. Aqueles malditos sete dias em que ele fica louco por causa dela. Mas como Louis cresceu em uma casa cheia de mulheres, sabia lidar com a situação muito bem. Quer dizer... mais o menos "bem" porque não tem como curar o estresse, a sensibilidade e as emoções de S/n durante essa semana.


-Amor, a casa está arrumada. A Lisie veio arrumar ontem -ele tentou argumentar, e acrescentou- Eu posso parar de assistir o futebol para ficar deitadinho com você até a cólica passar... 

-Agora você vem oferecer ajuda?
-Eu não sabia que você estava com dor.
-Porque você nunca percebe droga nenhuma, mas ok, Louis. Você pode continuar assistindo seus jogos idiotas -ela revirou os olhos e caminhou até o espaço de Scooby, colocando comida para ele. Depois, foi pro quarto e eu ouvi o som do chuveiro ligar.

Louis riu pensando em como ele e os outros homens são guerreiros por aguentar suas mulheres nesses dias.
Ele levantou do sofá, colocou uma roupa melhorzinha e saiu de casa. Foi até a padaria mais próxima e comprou uma barra de chocolate, a favorita de S/n.
Quando voltou para casa, sua mulher estava sentada no sofá com o Scooby no colo. O cachorro estava quase dormindo com o carinho que ela fazia nele.

-Fizeram as pazes? -brinquei, só para estressa-la um pouquinho. É engraçado, vai...
-Não enche, Lou -ela respondeu- E vai arrumar a bagunça que você deixou lá no banheiro.

Obedecendo a mulher, -ele não é doido de fazer o contrário- Louis foi até a suíte deles e arrumou a bagunça. Depois voltou pra sala e sentou-se ao lado dela.

-Você vai parar de me dar fora agora? Eu limpei o banheiro e ainda fui na rua comprar chocolate pra você. 
-Comprou chocolate?
-Comprei, pois sou um ótimo noivo.
-Quer comprar minha simpatia com chocolate, Louis Tomlinson? -ela murmurou, meio que sorrindo.
-Ah, qual é, o Scooby não fez nada e ta recebendo carinhos -Lou apontou para o cachorro- Eu quem deveria estar sendo mimado!
-Eu quem deveria estar sendo mimada! -ela repetiu a frase, inconformada- Quem está sentindo cólica e dor de cabeça? Eu! E ainda parece que cada um dos meus seios pesam 50 kg.
-Tudo bem, eu vou te dar carinho.
-Não. Não quero. Você me estressou muito hoje -ela respondeu. Por mais que fosse estressante, Louis achava super engraçado.
-Eu vou ter que implorar pra te dar carinho? -ele deu um beijo demorado na bochecha da noiva. Scooby até pulou do colo dela.
-Nunca vi ninguém implorar para dar carinho... -S/n comentou.
-Pois é! Pra você ver o quanto eu te amo -Depositou mais alguns beijinhos em seu rosto, até roubar um selinho- Vem, vamos deitar. 
-Você é muito espertinho, Louis Tomlinson...
-Obrigado, linda. Agora, vem.
-Tudo bem, você venceu -ela se rendeu.
-Podemos assistir os episódios novos daquela série, o que acha? -perguntou Lou, enquanto caminhavam até o quarto.
-Acho ótimo, desde que você me dê a minha barra de chocolate e não fique achando que pode me dar beijos -Louis gargalhou.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Me X Soccer

Link permanente da imagem incorporada
essa foto sim pq eu to apaixonada, bjs hahaha


Se passaram 10 minutos e eu continuei esperando, devidamente sentada e paciente. O relógio marcava 18:10, o céu estava começando a escurecer e as pessoas saíam e entravam da Bake-a-boo, uma lojinha de cupcakes extremamente fofa com doces e sobremesas saborosas.
Suspirei, olhando a rua através da janela de vidro, esperando que Niall estivesse virando a esquina. Mas ele não estava... Bom, ele deve estar se arrumando, certo? Ele sempre demorou alguns minutos a mais que eu porque nunca consegue decidir como o cabelo realmente fica bom. Ou ele pode estar a caminho e o trânsito está grande. Ou ele pode, sei lá... Estar saindo de casa agora mesmo porque teve uma visita indesejada e inesperada.

Eu sustentei essas ideias até onde eu pude, até atingir o limite da minha paciência. O relógio marcava 19:00 quando eu levantei da cadeira, peguei minha bolsa, e saí irritada da lojinha fofinha.
Quem o Niall pensa que eu sou? As antigas peguetes dele que aceitavam qualquer merda que ele fazia? Foi para aguentar esse tipo de coisas que nós começamos a namorar? Ah, não. Não mesmo. Vamos consertar isso agora mesmo. Ele vai ter que me ouvir muito.

Bati na porta da casa dele com uma certa raiva, e me arrependi logo em seguida. Quem me atendeu foi a Maura, com um sorriso super dócil e receptivo. Às vezes eu esqueço que meu namorado não mora sozinho, e isso pode até ser bom para ele porque se a Maura não estivesse ali, eu bateria muito nele. Brincadeira, gente, eu só daria uns tapinhas mesmo, nada demais.

-Olá, querida, como está? -ela perguntou, enquanto me abraçava carinhosamente.
-Estou bem, dona Maura -omiti a verdade, dando um sorriso- e a senhora?
-Estou indo, minha filha... Graças a Deus está tudo bem -ela riu- Aceita um café?
-Não, obrigada. Na verdade, eu nem vou demorar muito, só quero falar com o Niall. Ele está?
-Não, ele saiu mais cedo, quase uma hora atrás -esse viado tá me traindo, é isso mesmo?- Ele não atende o telefone? -minha sogra perguntou, inocentemente.
-Não, não... É que eu tenho que me encontrar com ele e... Hm, eu... -cocei a cabeça, não sabendo o que falar.
-Ah, querida, eu tenho o endereço de onde ele está -ela se apressou em me entregar um papelzinho pequeno com o endereço escrito em caneta preta- Chegou uns amigos dele aí e saíram todos juntos. Acho que foram jogar futebol, não sei... 
-Ah, sim -assenti, sentindo-me um pouco mais aliviada. Foram amigos homens, ele não está me traindo- Poxa, dona Maura, muito obrigada, viu? -sorri.
-Que nada, querida! -ela abanou a mão no ar, e depois eu abracei-a.
-Tenha um bom dia.
-Você também.

Quando cheguei na rua que o endereço instruía, percebi que na esquina havia um estádio de futebol. Acho que já entendi a história toda. Niall marcou com o dono do estádio um dia para ele usar o espaço com os amigos. No dia em que íamos nos encontrar. Nossa, que ótimo.
Com passos fortes, caminhei até o final da esquina, e quando cheguei na porta do estádio enorme, tinha uns caras conversando.

-A senhorita deseja...? -um deles perguntou.
-Ahn, meu namorado está jogando aí dentro. Vim encontrá-lo.
-Tudo bem -respondeu, pegando uma prancheta- Pode me falar o nome dele, por favor?

Ergui uma sobrancelha, e ele percebeu que eu achava isso uma coisa estúpida. Eles acham que estou mentindo? Por que eu iria querer entrar em um campo de futebol em outra situação? Virou festa para ter que dar nomes? Palhaçada...

-Ordens da casa -ele deu de ombros.
-O nome dele é Niall -informei, sem vontade- Niall Horan.
-Ah, tudo bem. Pode entrar -ele autorizou minha passagem e eu agradeci.

De longe, tudo o que eu consegui ver foram alguns caras jogando bola. Todos estavam de chuteiras, short e colete para identificar quem era do time de quem.
Quando vi Niall jogando despreocupado, todo sorridente e suado, respirei incontáveis vezes para manter a calma.
Fui para a arquibancada e me sentei pacientemente no banco. Já que esse jogo é tão importante ao ponto dele esquecer nosso encontro, vamos esperar ele ser concluído, não é?

Após vinte minutos de bola rolando e garotos suados correndo para lá e para cá, eles pararam de jogar. Meu namorado e seus amigos se sentaram no gramado e ficaram bebendo água e rindo por cinco minutos. Eu já estava cansada de esperar aquilo terminar, então fui descendo as escadas até o campo.
Niall me viu e veio até mim com um sorriso no rosto e com uma expressão de dúvida.

-Amor? O que faz aqui? -me deu um rápido selinho.
-Puxa, pelo menos você lembra quem eu sou! -falei, debochadamente. Ni cerrou os olhos, super confuso.
-Como assim, S/n?
-Você não lembra que íamos sair hoje? Eu fiquei esperando você na loja por uma hora, Niall, UMA HORA!
-A gente ia s... -ele parou de falar subitamente quando lembrou do encontro- Ai, droga! Droga, droga...
-Obrigada pela consideração, viu? Estou muito feliz com o seu vacilo. 
-Poxa, meu amor, me desculpa, de verdade. Eu esqueci totalmente. Eu marquei com os caras para jogar e nem percebi que nosso encontro era no mesmo dia...
-Isso só prova que o futebol é mais importante que eu, né. 
-Não, S/n! Eu tinha marcado o futebol antes e não percebi que era no mesmo dia... Me desculpa, amor -ele roubou-me um selinho- o que posso fazer para compensar, hein?
-Compensar os 60 minutos que eu fiquei te esperando naquela loja? Nada. Sinto muito. Agora você já pode voltar a jogar o seu tão amado futebol, Niall -disse e me virei, caminhando para a saída. 
-S/n, volta aqui! -ele pediu, mas eu nem sequer olhei para trás.

Dois dias depois...

Ele não me ligou, não mandou mensagem e não veio na minha casa. Talvez ele queira acabar com o namoro, e quer saber? OK! Se ele está pouco se lixando que não estamos nos falando, não posso fazer nada. Essa atitude só me mostrou que ele não liga muito para o nosso relacionamento e nem para os meus sentimentos.

Desci as escadas do meu apartamento correndo, já estava um pouco atrasada pra faculdade e ainda teria que esperar um táxi pois minha irmã está usando meu carro. Ótimo, além da vida sentimental ferrada, ainda tenho que aturar meu próprio atraso. Valeu, vida!

Eu estava andando apressadamente até o ponto de táxi quando senti que um carro preto estava me seguindo. Seu eu começava a andar um pouquinho mais rápido, ele andava também. Pronto, pra completar a bosta toda, serei sequestrada, pensei. Até que o vidro do tal carro foi abaixando aos poucos e quando eu olhei para o lado (para memorizar a cara do sequestrador) era o Niall. O alívio foi grande, mas a raiva também.

-Você tá maluco, Niall? -perguntei, inconformada.
-O que foi? -ele riu, achando engraçado o meu quase ataque cardíaco.
-Quase que eu desmaio de susto aqui, achando que era um sequestrador, um bandido, ou coisa parecida! -ele gargalhou.
-Até que para um sequestrador, eu tô bem bonitinho, né? -fez graça. Rolei os olhos e continuei a caminhar- Oh, espera! Não quer uma carona?
-Não, obrigada -respondi, sem parar de andar.
-S/n, vamos lá, eu sei que você está atrasada!
-É, eu estou mesmo, mas eu posso chegar no segundo tempo de aula. Melhor que ir com você porque... vai que você esquece o caminho da minha faculdade e me atrasa mais ainda?
-Ah, S/n, para com isso, vai... -ele murmurou, com uma carinha fofa- Eu já pedi desculpas mil vezes, estou super arrependido. Vou prestar mais atenção da próxima vez. Prometo.

Não respondi nada, pois não queria ceder assim tão fácil.

-Amor, entra no carro.
-Não, Niall.
-Eu te deixo lá em 10 minutos -insistiu, tentando manter a velocidade do carro a mesma que a minha.
-Prefiro pegar um táxi.
-S/n, para com isso...

Não respondi mais nada porque ainda tinha esperanças de que ele percebesse que eu realmente não queria papo, mas pelo contrário, passaram-se alguns poucos minutos e ele freou o carro, saiu do mesmo e ficou de frente para mim, impedindo-me de continuar a andar.

-Você calça 37, tem pavor de rato, sua fruta favorita é abacaxi, não gosta muito de receber elogios, prefere praia do que piscina e acha ridículo quando eu mastigo chiclete fazendo barulho -ele sorriu de leve e eu não pude evitar de fazer o mesmo- Além disso, você queria muito conhecer a África e tem vontade de aprender a surfar... Detesta chá e prefere Batman do que Homem-Aranha.
-Niall, o que você est...
-Você ama crianças e idosos, odeia matemática, é apaixonada por livros e sua série favorita é The Walking Dead -ele deu de ombros e, mais uma vez, sorriu encantadoramente- Só tô falando isso porque eu te amo tanto que aprendi várias coisas sobre você, e não posso deixar que você fique chateada comigo por minha culpa. Eu sei, fui um idiota, admito isso e tomo toda a culpa para mim, mas você precisa me perdoar.
-Preciso?
-Sim, precisa. Se não eu serei obrigado a encher seu celular de mensagens e ligações, e sua casa de flores, chocolates, ursinhos de pelúcia e todas essas coisas melosas que as mulheres amam.
-Isso não seria tão ruim assim... -murmurei, sorrindo.
-Nem brinca com isso, S/n! -ele rolou os olhos e num movimento rápido me puxou pela cintura- Eu te amo, sua boba. Nunca te deixaria esperando por mim de propósito.
-Tudo bem, Niall Horan... Vou deixar você me levar para a aula só para te dar uma moral -ele riu e me deu vários beijos.